ESTUDO BÍBLICO SEMANAL

PACTO JOVEM – Estudo Semanal
Série: Doutrinas Bíblicas
Pr.Valdemir Sarmento de Almeida
Este estudo dirigido pode ser encontrado no blog do pastor Valdemir:
pastorvaldemirsarmento.wordpress.com
Oração

“…também os ensinava e dizia: Não está escrito:
A minha casa será chamada casa de oração para todas as nações?
Vós, porém, a tendes transformado em covil de salteadores.”
Marcos 11:17

“O homem deve saber que, durante a sua prece, ele se acha no palácio do Rei e que não vê senão o Rei. Ele se esquecerá então até da sua existência.”
(Rabi Nahman de Bratslav)

Desde pequeninos aprendemos que orar é falar com D’us. Este conceito não está errado, porém gostaria de estudar de uma maneira mais profunda sobre oração para que entendamos que a oração vai além, e muito além, de falar com D’us.

Como Orar Corretamente?

Todo novo convertido tem esse questionamento! O que é oração? E Para que serve?
Para alguns a oração é a maneira que D’us disponibilizou para que pudéssemos alcançar o que queremos ou achamos que precisamos. Para outros é uma maneira de nos confortamos com as situações que enfrentamos. Há quem diga que a oração não pode mudar nada, ela somente tem a função de consolar o aflito.
Diante de tantos conceitos ficamos incertos quanto ao nosso objetivo acerca da oração. Acredito que este foi o dilema enfrentado pelos discípulos na época de Yeshua (Jesus). Certamente eles deparavam com conflitos pessoais quando estavam orando. Mas o que achamos era que aqueles discípulos todas as suas orações respondidas, mas isto é apenas um engano e a maior prova que podemos ter, está na própria Palavra do Senhor que afirma que eles (os discípulos) pediram para que Yeshua os ensinasse a orar.

Este princípio de oração ensinado pelo Mestre trás umas realidades surpreendentes, inclusive para os próprios discípulos. Vamos fazer uma rápida reflexão sobre a Oração que Yeshua (Jesus) ensinou em Mateus 6:5-14

5 E, quando orardes, não sereis como os hipócritas; porque gostam de orar em pé nas sinagogas e nos cantos das praças, para serem vistos dos homens. Em verdade vos digo que eles já receberam a recompensa.
6 Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.
7 E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque presumem que pelo seu muito falar serão ouvidos.
8 Não vos assemelheis, pois, a eles; porque Deus, o vosso Pai, sabe o de que tendes necessidade, antes que lho peçais.
9 Portanto, vós orareis assim:
Pai nosso, que estás nos céus,
santificado seja o teu nome;
10 venha o teu reino;
faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu;
11 o pão nosso de cada dia dá-nos hoje;
12 e perdoa-nos as nossas dívidas,
assim como nós temos perdoado aos nossos devedores;
13 e não nos deixes cair em tentação;
mas livra-nos do mal
[pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém]!
14 Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará; 15 se, porém, não perdoardes aos homens [as suas ofensas], tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas.

A primeira realidade que Yeshua (Jesus) nos mostra é que a oração deve ser uma prática individual (vs.5 e 6) com a porta fechada em secreto! Toda oração que não for feita em acordo com a Vontade de D’us, é vã.

Yeshua motivou a oração individual, no quarto, e recriminou a oração feita em pé nas sinagogas. Isto porque a intenção é que a oração seja uma prática muito íntima e pessoal. A oração não podia ser feita semelhante a dos gentios que não conheciam ao D’us Eterno, porque o Senhor sabe de tudo o que pedimos antes mesmo que o peçamos. O que Yeshua (Jesus) está ensinando é que a oração não deve ser feita no sentido de suprimento necessidades pessoais, porque Ele sabe do que necessitamos (v.8).

No verso 9 em diante temos uma Oração que Yeshua (Jesus) ensina para os discípulos. Vamos avaliar rapidamente esta oração:
No verso 9 Ele começa reconhecendo que o Pai está nos céus e o Seu Nome deve ser santificado. Aqui Yeshua (Jesus) está afirmando que o propósito da Oração é que o Nome de D’us seja santificado. Então a oração tem a responsabilidade de santificar o Nome de Adonai.
A primeira atitude para que o Nome de Adonai seja santificado é clamando para que o Reino de D’us venha através da Sua Vontade realizada na Terra como no Céu (v.10). Isto significa que a primeira posição que devemos tomar é de Obediência à Vontade de D’us. Porque quando buscamos a vontade de D’us o nosso foco passa a ser o próximo e por isso não conseguiremos mais ser individualistas embora a oração deva ser uma prática individual. Então, o pão nosso de cada dia passa a ser uma oração diária que se preocupa com o próximo. Ele não disse o pão nosso de todos os dias… (v.11).
Progressivamente temos nesta oração uma ordem para que a nossa oração tenha eficácia. Agora Ele nos ensina que quando nos preocupamos com o próximo teremos, com o resultado, o amor ao próximo. E por isso teremos facilidade em perdoá-lo (v.12). Mais sério se torna quando Yeshua (Jesus) nos ensina a pedirmos a D’us que faça conosco o que fazemos com o próximo, que nos perdoe como temos perdoado.
Como fruto desse coração, podemos pedir ao Senhor que nos livre em meio à tentação. O que nos leva a entender que a nossa vitória sobre as trevas não é individual mas absolutamente ligada ao próximo.
Porque quando fazemos isto, estaremos santificando o Nome do Senhor, pois estaremos reconhecendo que D’Ele é o poder, o Reino e a Glória para sempre. Amém!

Faça esta Oração:

[Senhor, nesta lição aprendi que a minha oração deve estar ligada à Tua Vontade e a Tua Vontade começa no meu próximo. Quero que o Senhor me perdoe assim como eu tenho perdoado, quero que o senhor me ame como eu tenho amado, por isso, quero ser transformado à Imagem e Semelhança de Jesus. Agradeço pelo ensino de Yeshua (Jesus) por me alertar com respeito a importância da Oração. Que a minha oração seja para a Santificação do Teu Nome. Por isso eu oro em Nome de Yeshua, o Messias de Israel. Amém!]
________________________________________
Leitura Semanal
________________________________________
Domingo – 1 Reis 8:22-53
Segunda – 2 Crônicas 6 – Escreva o seu Comentário sobre o Capítulo
Terça – 2 Crônicas 7 – Escreva o seu Comentário sobre o Capítulo
Quarta – Neemias 1 e 2 – Escreva o seu Comentário sobre os Capítulos
Quinta – Salmos 102 e 103 – Escreva o seu Comentário sobre os Capítulos
Sexta – Daniel 9 – Escreva o seu Comentário sobre o Capítulo
Sábado – Habacuque 3 – Escreva o seu Comentário sobre o Capítulo

PACTO JOVEM – Estudo Semanal

Série: Doutrinas Bíblicas

Pr.Valdemir Sarmento de Almeida

NOVO NASCIMENTO

Textos Base: João 3:3; 2 Coríntios 5:17; Gálatas 6:15; João 3:6


A experiência mais relevante da vida de alguém é, sem dúvida, o novo nascimento em Yeshua (Jesus), o Messias. Do mesmo modo que não podemos explicar para um cego o que seja “verde”, também é impossível explicar a alguém o que seja o novo nascimento em Yeshua (Jesus).

1 – Não pode ver o Reino de D’us

Ver o Reino de D’us, ao contrário do que muitos pensam, não significa entrar no céu quando morrer. Esta é apenas uma conseqüência futura do novo nascimento, mas não a conseqüência mais imediata. O significado mais imediato de “não pode ver o Reino de D’us” é a total falta de discernimento do quanto D’us está presente e reina efetiva e totalmente sobre todas as coisas. Quem não passou pelo novo nascimento, não consegue enxergar a atuação de D’us em soberano reinado sobre todas as coisas, desde as mais complexas até as mais simples, e principalmente, em sua própria vida. É uma situação de cegueira quanto à realidade espiritual.

O renascido em D’us, ao contrário, consegue reconhecer e perceber a atuação de D’us em todas as coisas de sua vida. O renascido tem a experiência viva em seu coração do que as Sagradas Escrituras afirmam: “Reconhece-O em todos os teus caminhos”. O renascido, sem dúvida, consegue reconhecê-lO em tudo na sua vida, o que não ocorre com os não-renascidos.

A experiência do novo nascimento, que tem como conseqüência o reconhecimento da presença viva do Reino de D’us, é o que traz consigo a paz e a confiança de ter D’us presente conosco continuamente, em todas as ocasiões e em todos os lugares. É uma nova realidade, tanto de existência, como de visão espiritual.

O entendimento da palavra de D’us é como um descortinar da verdade aos olhos dos renascidos. Ver o Reino de D’us na nossa vida presente, é realmente adquirir uma nova natureza que consegue entender o que Ele diz, o que Ele quer, o que Ele faz e o que Ele planejou. A interpretação de “ver o Reino de D’us” como “estar presente no céu após a morte” é muito limitadora das reais dimensões desta realidade e fato. É fato que o novo nascimento nos capacita a estarmos um dia presente diante do trono de D’us nos céus; contudo, o Reino de D’us é eterno, não tendo início e nem fim, pelo que já existia antes de qualquer um de nós, e existirá para sempre. No momento atual em que vivemos, o Reino de D’us é um fato, como sempre foi, e para os renascidos em Yeshua (Jesus), o início é agora, já, no dia que se chama HOJE, e não depois de nossa morte apenas. Ver o Reino de D’us, em suma, é passarmos, desde já, a fazer parte de D’us e Ele fazer parte de nós, numa completa unidade e comunhão. Presença real, tanto no sentido de realidade como de realeza!

2 – Nova criatura é …

As escrituras falam acerca de dois homens: ADAM (genericamente tratando do ser humano) e YESHUA (JESUS). “Adam” é o homem natural, conforme o nascimento natural fruto da concepção no ventre de uma mulher. Embora o primeiro “adam” não tenha nascido do ventre de uma mulher, mas sim formado do “adamah” (barro do solo), genericamente a raça adâmica nasce do ventre da mulher. Nosso primeiro nascimento é segundo “adam”. Este nascimento natural, segundo “adam”, não nos confere nenhuma visão espiritual da realidade do Reino de D’us. Neste nascimento só temos percepção de coisas naturais que nos cercam. Nossa mente é um amontoado de perguntas sem resposta, como um cego que não consegue ver nada exceto o que pode apalpar ou provar.

Nota: No hebraico, “adam” significa homem, pessoa ou indivíduo, segundo o dicionário de Abraham Hatzamri e Shashana More-Hatzamri, como o nome dado a uma espécie e não a um determinado indivíduo. “Adam” vem da palavra “adamah” que significa “terreno, chão”. O relato escritural informa que o ser humano foi formado do pó da terra (chão), pelo que a palavra “adam” usada para denominar a espécie humana, provém da palavra “adamah”. Ao contrário do que é amplamente falado e ensinado, “adam” não era o nome próprio do primeiro homem, mas sim a denominação da espécie humana. As escrituras se referem a um “adam” macho e um “adam” fêmea, o que nem sempre fica muito claro nas escrituras traduzidas, mas é muito evidente nas escrituras originais hebraicas. Algumas versões das escrituras em português traduzem “adam” como “o homem”, no sentido de “ser humano”, ao longo de muitos versos onde a palavra é citada, mas, surpreendentemente, num determinado verso o tradutor passa a traduzir “adam” por “Adão”, com letra maiúscula, como se fosse um nome próprio. Caso seja do seu interesse, clique aqui para visualizar os primeiros capítulos de Bereshiyt (Gênesis), no original hebraico com tradução correta, de modo que este entendimento possa ficar claro. Especial atenção para o verso 27 do capítulo 1.

No primeiro nascimento, segundo “adam”, nossa mente natural e nossa total cegueira espiritual, nos tornam muito receptivos a muito engano, muita mentira. Do mesmo modo que um cego, que não tem visão própria, aquele que só possui o primeiro nascimento também não possui visão espiritual própria. Acerca de assuntos espirituais, ele é um alvo fácil para o engano dos que lhe afirmam isso ou lhe afirmam aquilo, porque não consegue ver por si mesmo. A multiplicidade de religiões que cobrem a terra, hoje, é só o resultado desta cegueira espiritual completa, composta de pessoas e mais pessoas que apenas dão lugar ao engano pregado por outras pessoas que dizem ter visão espiritual, embora sejam tão cegas quanto elas. Cegos guiando cegos.

Alguém me perguntaria nesta hora, por que razão deveria dar crédito ao que aqui escrevo? Eu respondo de uma forma muito simples: eu não quero que você aceite o que escrevo. O que eu realmente desejo é que você passe pela experiência do novo nascimento em Yeshua (Jesus), o Messias, quando então você poderá ver por si mesmo, e não precisará apenas considerar minhas palavras.

Yeshua (Jesus) é o Messias, o Homem Espiritual, segundo o qual nascemos de novo. É no novo nascimento, segundo Yeshua (Jesus), o Homem Espiritual, que nós realmente conseguimos ver o Reino de D’us. O novo nascimento em Yeshua não é simplesmente uma “transformação”, mas na verdade, uma “nova criação”. É isso o que significa “nova criatura”.

Yeshua (Jesus) é tratado pelas escrituras como o “último adam”, e também como o “segundo homem”. “Último adam” porque nEle se encerra toda uma geração de homens naturais, nascidos apenas da carne, fruto do ventre de uma mulher. Ele é o “segundo homem”, porque nEle uma nova criação se inicia, a geração dos homens espirituais, nascidos do Espírito de D’us, e não do ventre de uma mulher. (“Carne e sangue não podem herdar o Reino de D’us”).

Yeshua (Jesus) é justamente o elo de ligação entre estas duas gerações. Como raça de adam, Ele nasceu de mulher, viveu segundo todas as nossas limitações naturais, e principalmente, se sujeitou à morte, como se pecador fosse, embora não sendo. Yeshua (Jesus) se tornou a ponte entre estas duas gerações, na verdade, a única ponte capaz de fazer com que alguém passe de uma geração para a outra. Como único elo de ligação entre as duas gerações, ele pode, e deseja, ser para nós o Caminho que conduz a todos de uma criação para a outra; da criação da carne para a criação do Espírito; da criação do pecado para a criação da justiça; da criação da morte para a criação da vida.

Faça essa Oração:

[Senhor Adonai, te agradeço pela oportunidade que o Senhor me deu do Novo Nascimento. Quero viver, a cada momento, o Teu Reino aqui na Terra. Não vou deixar que essa maravilhosa experiência seja “roubada” de mim, mas vou peço-te que me ajudes a guardar minha nova natureza em Jesus. Amém!]


Leitura Semanal


Domingo – Colossenses 3

Segunda – João 3 – Escreva o seu Comentário sobre o Capítulo

Terça – Jeremias 33 – Escreva o seu Comentário sobre o Capítulo

Quarta – Gênesis 6 – Escreva o seu Comentário sobre o Capítulo

Quinta – Deuteronômio 11 – Escreva o seu Comentário sobre o Capítulo

Sexta – Deuteronômio 12 e 13 – Escreva o seu Comentário sobre os Capítulos

Sábado – Isaías 12; Apocalipse 16 – Escreva o seu Comentário sobre os Capítulos

PACTO JOVEM – Estudo Semanal

Série: Doutrinas Bíblicas

Pr.Valdemir Sarmento de Almeida

SALVAÇÃO

A Bíblia nos ensina que a Salvação é uma realidade por causa da Graça de D’us que vem pela Fé – Ef.2:8; At.15:11

Mas a pergunta que devemos fazer para dirigir nosso estudo desta semana é:

SERÁ QUE VOCÊ É SALVO?

O que é salvação? Como saber que realmente somos salvos? Será que podemos nos enganar quanto à convicção de nossa salvação? Estas são algumas perguntas que estarão sendo respondidas nesta semana de reflexão!

  1. 1. A Salvação é um livramento para todo o que experimenta a Graça de D’us. Muitos pastores ou líderes pregam que hoje a salvação é pela graça, mas na verdade a salvação sempre foi pela graça (hessed – heb.) de D’us.

Mas ser salvo de que? A Bíblia afirma que TODOS PECARAM – Rm.3:23 e Is.59:1,2

Mas para saber que pecamos, precisamos definir o que é pecado. 1Jo.3:4 temos a resposta sobre o Pecado – “…pecado é a transgressão da Lei…”, portanto, temos um conceito muito importante ensinado pelos apóstolos e que não pode ser perdido. A Salvação sempre foi pela graça desde o início. Noé, Abraão, Abel, Isaque, Jacó, Moisés, etc…, todos foram salvos pela Graça e não pela Lei, mas a transgressão da Lei gera morte, porque o Salário da Transgressão da Lei (Pecado) é a morte (Rm.6:23).

A Lei serve para descriminar o Pecado e a Morte. Ela nos ensina o que é errado. Por esse motivo D’us precisava resolver o problema da transgressão da Lei. Como foi o homem quem pecou e a ele foi dado o domínio sobre toda a criação, somente o homem poderia restaurar o que fez, mas como não existe nenhum homem bom, o Senhor resolveu enviar um Homem a Sua Imagem (assim como o primeiro Adão) – Col.1:13-16, porém, sem pecado, pois Ele foi gerado do Espírito Santo.

  1. 2. Somos salvos para um propósito maior que ir para o Céu.

Tem muita gente buscando sua salvação para ir pro Céu, mas a realidade do Céu é para quem entende que foi chamado para viver o Reino de D’us hoje, aqui na Terra. Somente o Obediente pode viver a realidade celestial hoje.

A Salvação nos é dada pela Graça (hessed – misericórdia, perdão) de D’us para que possamos viver uma vida de Obediência. Esta foi a característica de Jesus – Fl.2:8, Rm.5:19, Rm6:16, 1Pe.1:22. E também deve ser a nossa.

Então, podemos concluir que a Salvação tem o Propósito de nos tornar Obedientes para que a Vontade de D’us seja feita na Terra, assim como no Céu. Isto quer dizer que se assumimos uma convicção de que somos salvos, mas andamos em desobediência, certamente a Salvação em nossa vida é um sério engano.

Fomos livres para Obedecer e não para escapar do inferno. Quando experimentamos a Graça de D’us, é porque agora podemos refazer nossa vida sem o peso da transgressão da Lei. Podemos Obedecer e saber que Ele se agrada de nossa Obediência.

  1. Não basta sermos salvos, temos que ser obedientes.

Quando nos tornamos obedientes, cumprimos o nosso propósito de existência. Mas o que devemos Obedecer? A Bíblia afirma que a Lei foi dada para nos justificar em Cristo – Rm.2:13. Cristo me perdoa da desobediência e coloca em mim o Seu Espírito para que eu continue uma vida de Obediência às ordens de D’us através de Sua Palavra. Por este motivo Jesus declara que nós temos condições de viver além da Obediência da Lei pregada pelos escribas e fariseus (Mat.5:17 em diante; Lev.5:17; Sl.119:10,11).

  1. 4. Pelo Fruto a Árvore é Conhecida – Mat.12:33

A Salvação é pela Fé, e Fé, ao contrário do que se entende, está diretamente associado à Fidelidade ao invés de um mero pensamento positivo.

Como Jovens temos de reavaliar nossa postura espiritual e assumirmos uma Fé (Fidelidade/Obediência) consistente ao Senhor e à Sua Palavra. Crer nessa Palavra implica, necessariamente em mudança de atitude. Que sejamos assim, em Nome de Jesus!

Faça essa Oração:

[Senhor Adonai, eu te agradeço pela tua graça que trás a Salvação, e é por ela que fui salvo para uma vida de obediência plena por causa do Espírito que habita em mim. Faze-me, a partir de hoje, viver essa Obediência, ensinando-me os Teus Caminhos e os Teus Mandamentos em Nome de Jesus. Amém!]


Leitura Semanal


Domingo – Is.60:10-22

Segunda – Romanos 3 – Escreva o seu Comentário sobre o Capítulo

Terça – 1Coríntios 15 – Escreva o seu Comentário sobre o Capítulo

Quarta – Sl.119:1-48 – Escreva o seu Comentário sobre o Texto

Quinta – Sl.119:49-104 – Escreva o seu Comentário sobre o Texto

Sexta – Sl.119:105-144 – Escreva o seu Comentário sobre o Texto

Sábado – Sl. 119:145-176 – Escreva o seu Comentário sobre o Texto

Anúncios

3 opiniões sobre “ESTUDO BÍBLICO SEMANAL”

  1. Gostei muito de seu trabalho Deus o abençoe por tamanha dedicaçaõ

  2. Gostei muito de seu trabalho Deus o abençoe por tamanha dedicaçaõ
    Quando puder visite o http://missaolevealuz.blogpost.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s